Conecte-se

Conheça mais sobre o Monotrilho que deve ser concluído ainda em 2017

Conheça mais sobre o Monotrilho que deve ser concluído ainda em 2017
Foto/Reprodução: Folha da Vila Prudente

MONOTRILHO

Conheça mais sobre o Monotrilho que deve ser concluído ainda em 2017

O monotrilho paulista é inédito no Brasil tendo em vista que é o primeiro transporte de trem suspenso no país. Atualmente, em fase de construção, estão as Linhas 15-Prata e 17-Ouro. Para que isso seja possível, são usadas vigas de 28 metros de altura e 80 toneladas cada.

A linha 15-Prata, em sua fase inicial previa 18 estações, ligando Vila Prudente até Cidade Tiradentes, com previsão inicial de conclusão das obras em 2014.

Em 2015, alegando dificuldades financeiras, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), revisou a obra e transformou a construção do monotrilho da Linha 15-Prata em três trechos:
Trecho 1: Vila Prudente – São Mateus. O trecho deve ter as obras concluídas ainda em 2017 e entrar em plena operação em março de 2018.
Trecho 2: São Mateus – Iguatemi. O trecho deve ter as obras concluídas em 2020. Não há previsão de inauguração.
Trecho 3: Iguatemi – Cidade Tiradentes. Sem previsão de início das obras.

Confira a seguir algumas características do monotrilho paulista
Apesar do nome “monotrilho”, os veículos suspensos não andam sobre trilhos. No lugar de trilhos, são vigas onde o veículo anda com pneus. A energização do veículo é feita através de trilhos mais abaixo das vigas.

Viga e trilho de energia do Monotrilho

Viga e trilho de energia do Monotrilho

Quando o trecho entre Vila Prudente e São Mateus do monotrilho entrar em operação, é previsto que 500 mil passageiros utilizem o transporte diariamente.
Com a Linha 15-Prata em operação, é previsto que a Linha 3-Vermelha, que liga a zona leste à zona oeste passando pelo centro, seja desafogada já que moradores de bairros como Guaianazes, Cidade Tiradentes, Iguatemi, entre outros bairros, que se dirigem a zona sul, devem optar pela nova opção de transporte.

O monotrilho paulista foi projetado para ter dois meios de “resgate” caso a composição quebre com passageiros dentro entre as estações. Os veículos são adaptados para fazer reboque, ou seja, se um monotrilho quebrar durante o trajeto, outro veículo pode ser deslocado até à ele para guinchar.
Além disso, o trajeto conta com passarelas de emergência caso a composição precise ser evacuada. Ao contrário, por exemplo, de países como Índia e Austrália, onde os bombeiros já foram acionados para tirar os passageiros do trem já que não havia outro meio para isso.

Resgate no Monotrilho de Sidney (Austrália). Foto / Reprodução: BBC

Resgate no Monotrilho de Sidney (Austrália). Foto / Reprodução: BBC

Mas e se eu passar mal ou tiver alguma impossibilidade de andar na passarela de emergência? Neste caso, o corpo de bombeiros pode realizar o resgate.
Em 2014, o Metrô fez simulação de resgate com participação dos bombeiros e funcionários da companhia onde, após pane de uma composição, os passageiros tiveram que andar sobre a passarela de emergência  e dois passageiros tiveram que ser resgatados pelos bombeiros após passarem mal. (Leia mais sobre essa simulação clicando aqui)

Simulação de resgate no Monotrilho em 2014. Foto / Reprodução: Folha da Vila Prudente

Simulação de resgate no Monotrilho em 2014. Foto / Reprodução: Folha da Vila Prudente

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em MONOTRILHO

Advertisement

Estamos no Facebook

Subir